5 dicas de como escolher um síndico para o condomínio

Muitos moradores de condomínios vivem infelizes com os síndicos. E por um bom motivo: a falta de transparência, disponibilidade e capacidade de resposta são frequentemente apontadas. Apesar desta insatisfação e sem conhecer alternativas, muitos escolhem não mudar a gestão.

Você está nessa situação? Geralmente, é o conselho sindical que vai em busca de um novo síndico, e tem a pressão para colocar todo o condomínio em acordo. Diante de tantas ofertas, como você pode ter certeza de como escolher o síndico para o condomínio? 

1. Verifique a reputação e as avaliações online 

Embora os síndicos sejam geralmente receptivos quando contatados por clientes em potencial, é melhor saber se eles o fazem diariamente. Existem diferentes maneiras de verificar a reputação dos jogadores no mercado: 

Ver avaliações e classificações online

Muitos moradores compartilham suas experiências publicamente no Google. Embora não seja uma ciência exata, as avaliações ajudam a comparar ofertas e a tomar decisões. Um conselho? Observe especialmente as análises mais recentes!

2. Aprenda sobre a organização dentro do condomínio

Um vazamento de água? Um conflito entre vizinhos? Algumas situações requerem uma resolução rápida e eficiente. No entanto, a maior insatisfação reside na falta de agilidade dos síndicos tradicionais e na obrigação de reanimá-los sistematicamente, se necessário. E quando se trata de casos urgentes, não é tolerável!

Frequentemente sobrecarregados, os curadores às vezes administram até 55 edifícios. No entanto, uma boa organização dentro de uma equipe de síndicos alivia consideravelmente a carga de trabalho do conselho sindical. 

Como você pode garantir o profissionalismo e a disponibilidade de seu futuro administrador ao longo do tempo? Tudo que você precisa fazer é perguntar como funciona:

  • Como está organizada a equipe de gestão e a equipe de contabilidade? De acordo com o serviço público, há um mínimo de 3 membros em uma equipe de síndicos.
  • Que especialistas são formados por suas equipes de gerenciamento do dia a dia (contabilidade, construção, jurídico, etc.)? 
  • Quantos edifícios por gerente? Isso permite que você deduza a disponibilidade de seu futuro referente;
  • Quem assume se meu gerente estiver ausente?
  • Você coloca diferentes fornecedores em competição durante uma intervenção? 
  • Haverá um gerente de referência em nosso condomínio? Ou são vários espalhados por áreas distintas (trabalho, contas a pagar, litígios, etc.);
  • Quais são as suas disponibilidades: horários de abertura e fechamento? Podemos entrar em contato com você em caso de emergência à noite e nos fins de semana?

3. Solicite uma demonstração das ferramentas utilizadas pelo administrador 

Procurando um software administração de condomínios para acompanhar facilmente as novidades do seu condomínio? Você não é o único! Os conselheiros sindicais frequentemente deploram a falta de simplicidade no acesso aos dados de sua residência.

Todos os da gestão do condomínio têm obrigações de compartilhamento e transparência com seus moradores. Eles são obrigados a disponibilizar um espaço online aos condôminos. Essa plataforma deve incluir:

  • Documentos financeiros, 
  • Chamadas de propostas atuais, 
  • Acompanhamento de reivindicações, 
  • As várias notas informativas, etc. 

Alguns contentam-se com o mínimo legal, enquanto outros envidaram todos os esforços para oferecer as ferramentas necessárias para uma monitorização da vida dos moradores.

Principalmente se você puder acompanhar tudo online e evitar 3 ligações no mesmo dia sobre vazamento! Portanto, peça aos diferentes administradores uma demonstração de suas plataformas e compare-as! 

4. Pergunte sobre os métodos de intervenção dos prestadores de serviços 

Você quer favorecer um administrador que atue em seu interesse? Comece aprendendo sobre o método de seleção de fornecedores aplicado pela pessoa em questão. Com efeito, os moradores nem sempre colocam os diferentes prestadores de serviço em concorrência, privilegiando a sua rede habitual.

Neste caso, existe um real desinteresse pelo condomínio, que nem sempre consegue tirar partido da melhor relação qualidade-preço e da necessária agilidade. Além disso, para garantir que o síndico atenderá às suas expectativas em caso de intervenções dentro do condomínio, é aconselhável fazer-lhe as seguintes perguntas: 

  • Você faz chamadas para propostas? 
  • Com que critérios você escolhe os terceiros? 
  • Os provedores são aconselhados ou impostos?
  • Você valida as cotações no conselho sindical? 
  • Qual é o seu valor agregado? 
  • Você concorda em trabalhar com empresas de serviços habituais?

Além disso, a mudança de síndico não significa necessariamente mudar os prestadores de serviços existentes, especialmente aqueles que têm um bom conhecimento do condomínio. Essas decisões são objeto de uma troca entre o conselho sindical e o curador.

5. Conheça o suporte oferecido durante a transferência do condomínio

O que o preocupa não é mudar o síndico, mas como ocorrerá a transferência entre o antigo e o novo? Então, como detectar quem vai fazer bem a transferência e quem vai fazer mal?

Não deixe de questionar os vários síndicos da corrida no concurso sobre os seus compromissos. Agora você tem todas as chaves para escolher seu novo síndico com confiança.

Aplicar essas recomendações e tomar seu tempo são regras de ouro a serem adotadas ao escolher seu novo síndico, estando bem informado. Tudo que você precisa fazer é começar. Boa sorte!