9 Itens verificados na manutenção do carro

Saiba quais itens devem ser verificados na manutenção do carro, e qual a importância de uma revisão completa!

A manutenção do carro tem como objetivo avaliar as condições de funcionamento dos veículos, identificar possíveis reparos, evitar falhas, contribuir para o desempenho do mesmo e desacelerar o desgaste de peças automotivas. Ou seja, realizar revisão veicular de forma periódica evita acidentes, além de minimizar as chances de ter que acionar o serviço de proteção veicular

Para garantir que o seu automóvel esteja em perfeitas condições e evitar grandes gastos com reparo, o ideal é realizar a manutenção do carro a cada seis meses ou 10.000 km rodados.

9 Itens verificados na manutenção do carro

Itens verificados na manutenção do carro 

A seguir, os principais itens a serem verificados ao realizar a manutenção do carro:

1. Amortecedores

Os amortecedores proporcionam conforto ao dirigir e representam uma garantia de segurança, pois ajudam a controlar o veículo em altas velocidades e em situações de risco. Na verdade, é considerado um dos três componentes essenciais do chamado “triângulo de segurança”, junto com pneus e freios.

O funcionamento correto de um amortecedor depende de vários fatores, como condições da estrada, carga do veículo, quilometragem e efeitos de desgaste como frio, calor e umidade. A ação desses fatores faz com que o efeito do amortecedor diminua gradativamente, até que ele pare de funcionar corretamente. Como não é um desgaste muito perceptível para o motorista, é aconselhável realizar revisões periódicas a cada 20.000 quilômetros.

2. Palhetas do para-brisa

Em caso de chuva, as palhetas do limpador desempenham um papel fundamental. Se não varrem bem e não evacuam a água corretamente (ou granizo ou neve), impedem que informações preciosas cheguem aos nossos olhos. Alguns segundos podem ser vitais.

Quando as palhetas saem de áreas a serem varridas, causam embaçamento estranho nos vidros, fazem barulho ou saltam, nesse momento chega a hora de substituí-las. 

3. Filtros

Você deve verificá-los pelo menos uma vez por ano essa manutenção do carro. Vários tipos de filtros são montados em veículos:

  • Filtro de óleo

O desgaste normal do motor envolve o aparecimento de partículas metálicas que se desprendem dos componentes e acabam no lubrificante. A missão do filtro de óleo é reter essas partículas que prejudicam o desempenho do motor ou até mesmo o danificam seriamente.

Dado que os períodos de reposição de óleo têm sido muito longos em veículos novos e apesar da qualidade dos filtros ter melhorado consideravelmente, é essencial restabelecer este elemento sempre que o lubrificante for trocado na manutenção do carro. 

  • Filtros de ar

Um filtro em boas condições garante que o ar que chega ao motor não contenha partículas abrasivas. Desta forma, a combustão é realizada nas melhores condições e o consumo de combustível é mantido nos níveis constantes do catálogo do veículo, como é o caso das emissões poluentes.

É importante que o filtro seja sempre verificado durante as operações de manutenção do carro. O fim de sua vida depende muito dos locais por onde circula. Portanto, se você dirige regularmente em estradas empoeiradas, é necessário substituí-lo com muito mais frequência em uma manutenção do carro preventiva.

  • Filtro de combustível

Seu funcionamento difere no caso dos veículos a gasolina: eles removem as impurezas do combustível antes de chegarem ao motor, enquanto nos veículos movidos a diesel servem para remover a água e evitar a corrosão das partes metálicas do motor. Em ambos os casos, sua tarefa é primordial para garantir a saúde do motor. Devem ser verificados sempre que entrar na oficina para manutenção do carro.

4. Pneus

Muitos fatores influenciam a vida útil de um pneu: desde os componentes das capas e o armazenamento antes da sua venda, até a forma como o usuário dirige, ou o clima e as características do pavimento em que ele roda.

Portanto, é muito difícil determinar um número estimado de quilômetros (há marcas que duram mais que outras). No entanto, sendo o elo entre o automóvel e a estrada, o seu papel na segurança é primordial.

Você deve manter corretamente os níveis de pressão recomendados pelo fabricante, além de estar sempre muito atento ao aparecimento de vibrações e ruídos, de desgaste anormal (maior em algumas áreas do que em outras), de qualquer comportamento estranho detectado durante a frenagem. 

O recomendável é ir a um especialista pelo menos uma vez por ano se os pneus estiverem instalados há mais de quatro anos, e quando a quilometragem anual não exceder 14.000 quilômetros para realizar a manutenção do carro e dos pneus (troca, alinhamento e balanceamento). 

5. Freios

Com os freios em mau estado precisaremos de mais medidores para parar o carro em qualquer emergência. O desgaste dos componentes do sistema de freio depende muito das características da condução e também da forma usual de deslocamento do veículo (engarrafamentos nas cidades, rotas de montanha, com muitas curvas, etc.).

Portanto, é muito importante que esse sistema seja revisado por um especialista pelo menos uma vez ao ano. Não é fácil detectá-lo, pois os componentes do freio se deterioram pouco a pouco e, a menos que a diferença seja muito acentuada (passa para um lado, demora a “reagir”, ruídos, chiados, etc.), caso em que o passo pela oficina deve ser imediato. 

6. Lubrificantes

Os lubrificantes minimizam o desgaste das peças do motor, canalizam as partículas metálicas decorrentes desse desgaste para o filtro, auxiliam na refrigeração e evitam pequenos vazamentos no circuito devido às suas propriedades de vedação.

A vida útil dos lubrificantes aumentou muito nos carros modernos. Há 20 anos, a média de troca era de 5.000 a 8.000 quilômetros, mas hoje os fabricantes de veículos falam em trocas mais espaçadas, mais de 30.000 quilômetros para seus novos modelos.

As oficinas recomendam verificar o nível do tanque de lubrificante (a cada 1.500 quilômetros), uma excelente prática que evita muitos sustos e economiza trabalho e dinheiro. Se for necessário substituir, escolha o tipo de lubrificante recomendado pelo fabricante do veículo.

7. Iluminação

Os faróis do seu veículo permitem que você veja e seja visto por outros motoristas e devem estar na manutenção do carro.

Já não é obrigatório o transporte de lâmpadas sobressalentes no carro (pela dificuldade de montagem e até pelos riscos elétricos que a operação de mudança pode acarretar em determinados veículos), mas não devemos esquecer que é obrigatório manter a iluminação e sinalização em ótimas condições.

Para fazer isso, é uma boa ideia verificar todos os meses se todas as luzes estão funcionando corretamente (posição, farol baixo, farol alto, freio, marcha à ré, piscas e faróis de neblina) e manter suas superfícies externas livres de lama e sujeira. 

Da mesma forma, sempre que for detectada alguma irregularidade (queda de intensidade, por exemplo) um especialista deve ser consultado para realizar a manutenção do carro preventiva.

8. Sistema de exaustão e catalisadores

Os sistemas de exaustão têm uma dupla missão no cuidado com o meio ambiente: devem reduzir as emissões poluentes e o ruído dos gases que saem do motor. Sua deterioração não pode ser evitada, devido ao seu trabalho árduo, principalmente ao dirigir muito pelas cidades ou em superfícies irregulares. 

Você nota vazamentos ou corrosão devido à falta de potência do motor e aumento do consumo de lubrificante.

Da mesma forma, e conforme indicado pelos principais fabricantes, dirigir com catalisadores (muito requisitados por amigos de outras pessoas) ou tubos de escape defeituosos pode aumentar o risco de incêndio do veículo e causar asfixia e envenenamento em locais fechados.

Os catalisadores param de cobrir sua função protetora do meio ambiente a 80.000 km, por isso vale a pena verificá-los após 60.000 km. Para evitar danificá-lo, é aconselhável evitar subir no meio-fio e aquecer o veículo mantendo o carro em marcha lenta por alguns minutos antes de dar a partida.

9. Correia dentada

A correia dentada sincroniza os quatro tempos do motor, a abertura e o fechamento das válvulas de admissão e escape e a faísca da vela de ignição. É muito importante seguir os conselhos do fabricante e a manutenção do carro, pois, por se tratar de um elemento que se desgasta, sua quebra pode causar sérios e caros danos ao motor.

É praticamente impossível para um motorista médio detectar sua deterioração (você sempre pode prestar atenção), então a melhor previsão é substituí-lo por uma unidade média com base nos intervalos recomendados pelo fabricante. E se tiver que comprar um carro novo (ou usado), conheça as diferenças entre a correia dentada e a corrente de distribuição.

Estes são os 9 itens verificados na manutenção do carro, não se esqueça de realizar a sua revisão periódica para preservar a vida útil dos componentes do seu veículo e dirigir em segurança.