Você sabe qual é a maneira correta de conservar os temperos?

O armazenamento adequado é essencial para a durabilidade e sabor dos temperos

Os temperos são essenciais para a culinária comercial e doméstica e possuem a capacidade de conferir um sabor único aos pratos, despertando memórias afetivas e agradando diferentes estilos de paladar.

Nos supermercados, é comum encontrar temperos prontos, vendidos em embalagens plásticas ou potes mais elaborados. Mas afinal, qual é a forma correta de armazenar o item para que ele não perca seu sabor e mantenha a durabilidade indicada na embalagem?

Geladeira, armário da cozinha ou em contato direto com o ambiente? Hoje, será possível saber mais sobre os principais tipos de tempero usados no dia a dia e as formas de conservá-los.

Os tipos de tempero afetam a conservação?

Essa é a primeira pergunta que deve ser feita quando o assunto é a conservação dos temperos. Afinal, todos os temperos podem ser armazenados da mesma forma? A resposta é não! 

As particularidades de cada tempero influenciam na conservação. Portanto, é importante saber mais sobre os principais tipos de tempero e de que forma é possível colaborar para a sua durabilidade e sabor.

Temperos secos 

Esses temperos são os mais tradicionais, daqueles que podemos encontrar no mercado armazenados em embalagens plásticas. Para conservá-los por mais tempo, a dica é transferir o conteúdo para potes de vidro com tampa. 

Você pode reutilizar potes de azeitonas, geleias, palmito e outros condimentos. Basta higienizar bem as embalagens e se certificar de que estão secas antes de despejar o conteúdo na embalagem. Após isso, basta guardar o vidro em uma parte seca e arejada da cozinha. 

Temperos frescos

Fazem parte dessa categoria, alimentos que podem ser comprados na seção de hortifrúti e usados para temperar os pratos, como é o caso da salsinha, tomilho e até mesmo o alho. 

Nesses casos, a dica é higienizar bem o alimento e armazená-lo em um recipiente com tampa na geladeira. As ervas ainda podem ser congeladas para maior durabilidade, basta acrescentar um pouco de azeite ao recipiente e porcionar de forma a usar todo o conteúdo, evitando o recongelamento.

Sal

O mais clássico dos temperos também merece atenção no seu armazenamento. O sal deve ser mantido em um recipiente de vidro ou plástico com tampa. E nada de levar para a geladeira, esse tempero deve se manter em um local seco e arejado.

Óleo e azeite

Uma boa salada pede o uso do azeite, não é mesmo? Para conservá-lo em bom estado, assim como os demais óleos, é importante evitar o calor e a luminosidade. Para isso, é importante mantê-los em vidros mais escuros, como os encontrados nos azeites em mercados, e fora de fontes de calor, como o fogão e as janelas.

Pimenta

Esse tempero não agrada a todos os públicos, mas em pequenas quantidades pode conferir um sabor especial ao prato sem a ardência característica. 

Para conservar as pimentas, a dica é manter as embalagens de plástico ou vidro 100% vedadas. Na hora de guardar, não é necessário recorrer à geladeira, as pimentas podem permanecer em um local fresco e arejado.

Temperos caseiros

Os temperos caseiros também são uma opção para quem deseja levar praticidade ao dia a dia e possuem seus truques de armazenamento, como é possível ver a seguir.

Temperos caseiros para o dia a dia

No dia a dia, nem sempre é possível demandar o tempo desejado para a preparação dos alimentos. Os temperos caseiros podem ajudar nessa missão, dado que já contam com um mix de sabores e podem ser feitos com uma frequência menor, como apenas aos finais de semana, economizando tempo no preparo.

O tempero caseiro clássico pode ser usado nas receitas básicas do dia a dia, em carnes, no arroz, feijão ou até mesmo nos legumes refogados. Basta acrescentar 4 cabeças de alho trituradas, 2 cebolas médias picadas em cubos pequenos e 500 gramas de sal. Uma vez finalizado, basta colocar em um recipiente com tampa e levar até a geladeira.